O que é isto?


Enviar esta foto por e-mail
Anterior
A Fofolete

Eu sei que pode até parecer coisa sem sentido, mas quem me conhece sabe que há certas coisas que não só me remetem ao passado, mas que ajudaram a ser quem sou hoje.

Quando eu era criança, não tive todos os brinquedos que desejei ou as roupas da moda, que posso afirmar todas as minhas "amiguinhas" e vizinhas possuíam.

Meus pais sempre trabalharam, e minha mãe, na minha memória, era a figura mediadora, que impunha limites, e só negociava nos termos por ela ditados. Vocês podem até pensar: “Nossa, então se tratava de uma mãe ditadora!”. Respondo-lhes prontamente: JAMAIS!

Minha mãe era uma mulher realista, com limites sempre pautados em fatos reais, equilibrada. Minha mãe nunca foi do tipo de mãe que chegava em casa com roupas paras seus filhos. Ela sempre nos levou para fazer as compras, mas nos avisava: “Só comprarei o que vocês escolherem, se estiver dentro do orçamento”. Isso sempre deu certo, e nunca houve choro, birra ou cara feia.

Com relação aos brinquedos era a mesma coisa. Talvez eu não tenha sentido tanta falta assim, (confesso que só não perdôo meus pais por não ter tido patins!) por que eu, como boa interiorana, gostava de brincar na rua, ao ar livre, correndo, sempre com os joelhos “ralados” em tom de rosa por causa do mercúrio cromo (por isso eles não me deram os patins entenderam?)! Confesso que não gostava de bonecas. Na realidade eu só tive uma, que não dava muita bola. Mas a fofolete... Que coisa mais linda. Essa bonequinha do tamanho do dedão me comovia! Colorida, pequena, vinha numa caixinha que imitava uma caixa de fósforos, ou um ovo plástico... Como eu amava e tinha ciúmes de minha fofolete. Enquanto minhas amigas colecionavam as tais bonequinhas, eu só tinha uma. E acreditem, nunca pedi mais, pois aquela única e minúscula bonequinha era especial e amada. O que me deixa triste, é que eu não sei o que aconteceu com ela. Assim, prefiro pensar que ela tenha ido para alguma menina, e a feito feliz assim como me fez.



Hoje, com quase 37 anos, lhes digo: senhores, eu tenho sim, uma fofolete! Presente amado, do mais amado Marcelinho, que me devolveu a felicidade de um brinquedo, do tamanho de um dedão!


Beijos a todos


27/05/2010 Publicada por amaral.adriana


Bem, como não é novidade, eu chorei... e ainda estou chorando digitando este texto...Dri tá ficando ótima escritora. Parecia que estava vend tia Betinha falando... vc tb é amada... te amo... não se esqueça que só se casou com a minha autorização...rssrs TE AMO, CARAI

27/05/2010 23:30 Marcelinho marcelodalcom@msn.com http://marcelodalcom.blogspot.com/

Comente esta foto
Nome   
E-mail   
Site/Blog   
Comentário  
Caracteres restantes : 1000